sexta-feira, 8 de agosto de 2014

ALGUNS SINAIS DA DEPRESSÃO


         A depressão, cada vez mais comum hoje em dia, nem sempre é reconhecida de imediato. Conversando com as pessoas, atendendo no consultório e na prefeitura vi que há muita gente que se surpreende quando recebe o diagnóstico de depressão e parece haver ainda muitas dúvidas a respeito.
Para começar, muita gente acha que tristeza é depressão. Pois bem: tristeza é uma coisa e depressão é outra.
A depressão tem graus. Pode ser leve, moderada ou grave. Ela também evolui, pode começar bem leve e ir evoluindo com o passar do tempo. Em todos os graus ela provoca muitos prejuízos de todas as ordens.
A depressão é um bloqueio de sentimentos. A pessoa que tem depressão não vibra com nada, nada tem sabor, não se sente animada com nada. A vida não tem colorido e perdeu seu sentido.
O cansaço e a falta de energia para fazer as coisas do dia a dia é outro sinal da depressão. É um cansaço que não passa de jeito nenhum, nem dormindo, nem viajando, nem tirando férias. O cansaço normal do trabalho é resolvido com uma boa noite de sono, a pessoa se sente renovada e acorda bem disposta.  Na depressão o bloqueio de sentimentos consome energia e a pessoa se sente exaurida e sem ânimo. É comum que a pessoa deprimida acorde bem cedinho.
Quem tem depressão não sente prazer com nada. Não é capaz de apreciar nada, não adianta viajar para lugares lindos, ter muito dinheiro, ter família e amigos, um trabalho invejável, tudo isso é muito bom, porém a pessoa que se encontra deprimida não consegue valorizar e apreciar sua própria vida, muito menos as pequenas coisas do dia a dia. Tudo perdeu o valor, o sabor e o sentido. Uma paciente uma vez me dizia: “... a gente vê nos jornais tanta coisa, gente que perdeu tudo em enchentes, guerras, gente que sofre por tanta coisa, mas que ainda tem ânimo de viver, de lutar, de reconstruir tudo... eu tenho tudo, mas não tenho ânimo nem prazer com nada, os dias são todos iguais e sem graça...”.
Recebi vários encaminhamentos de médicos psiquiatras para tratar pacientes com depressão e me recordo de uma senhora idosa que estava com um quadro depressivo mais grave. Ela me dizia que não tinha vontade de nada, nem de levantar da cama e a psiquiatra que estava cuidando de seu caso indicou que ela fizesse curso de pintura e artesanato. A paciente estava indignada! A pior coisa que se pode fazer a um paciente deprimido é ficar indicando coisas para ele fazer. Quando ele melhorar, vai procurar o que fazer naturalmente.
Muitas pessoas com depressão leve ou moderada trabalham, cuidam da casa e da família, fazem tudo o que é necessário, porém com muito esforço e sofrimento. Coisas que antes faziam com facilidade agora parecem enormes montanhas que têm que escalar. Isso torna o depressivo frustrado consigo mesmo.
Nem sempre a depressão faz uma pessoa ficar apática e quieta num canto. Um constante estado de irritação e insatisfação acompanha o deprimido no seu dia a dia. Ele perde a paciência com coisas e situações que os outros ao seu redor ficam sem entender. Às vezes a irritação e a impaciência constantes são os sinais mais visíveis.
As crianças também podem ter depressão. O que geralmente acontece é que a criança apresenta problemas de comportamento e aprendizagem na escola e as professoras solicitam aos pais que levem a criança ao psicólogo, pois dizem que ela é hiperativa (outro dia escrevo sobre hiperatividade, mas já adianto que o tratamento é feito pelo médico neurologista com medicamento). A criança deprimida também pode ficar irritadiça, brigar com os colegas, não levar desaforo para casa, destruir coisas, não parar quieta, não prestar atenção em nada e mais um monte de coisas. É preciso investigar com cuidado para se fazer um diagnóstico correto.
A depressão traz muitos prejuízos à vida de muita gente, atrapalha o sono e o descanso, atrapalha o trabalho, os relacionamentos, a vida social, pode prejudicar a saúde e a qualidade de vida em geral.
Quem tiver dúvidas sobre depressão ou quiser partilhar um caso pode enviar um e-mail para cursinhopsicologia@gmail.com

Gláucia Maria C. Monteiro
     CRP 06/72480





Nenhum comentário: